Concurso Bolsa de Publicações Hugo de Carvalho Ramos
                      

A Bolsa de Publicações Hugo de Carvalho Ramos, a mais antiga do país, foi criada no ano de 1944 pelo 1º Prefeito de Goiânia, Profº Venerando de Freitas Borges, com a finalidade de descobrir obras inéditas de autores goianos nos gêneros ficção e poesia. É considerado autor goiano, pessoa nascida no Estado de Goiás ou nele residente por mais de 05 (cinco) anos.
   
É realizada anualmente pela União Brasileira de Escritores-Seção Goiás (UBE-GO) em parceria com a Prefeitura de Goiânia, através da Secretaria Municipal de Cultura, tendo uma Comissão Julgadora composta de 03 (três) membros, formada da seguinte maneira:  representante da UBE-GO, representante da Prefeitura de Goiânia e representante da Academia Goiana de Letras.
   
O autor contemplado com a publicação de sua obra, terá direito a 90% do número efetivo de exemplares editados (1.000), cabendo o restante à Prefeitura  e à UBE-GO para fins de distribuição às Bibliotecas Públicas do Estado e do País, e, uma premiação de 20 (vinte) salários mínimos.
   
Já editou mais de 100 (cem) livros até hoje. Foi através dela que o imortal da Academia Brasileira de Letras (ABL), escritor Bernardo Elis, publicou seu primeiro livro “Ermos e Gerais”.
          
Já foram contemplados nomes importantes da literatura goiana como: Eli Brasiliense, José Godoy Garcia, Leolídio De Ramos Caiado, Marieta Teles Machado, Regina Lacerda, Miguel Jorge, Gilberto Mendonça Teles, Yêda Schmaltz, Anatole Ramos, Pio Vargas, Aidenor Aires, Delermando Vieira, Edival Lourenço, Brasigóis Felício, Gabriel Nascente, e muitos outros.

Ana Luiza Serra Ferreira

Secretária executiva

 

 

 

REGULAMENTO  (Atualizado em 04 de maio de 2017)       

           

 

 

  R E G U L A M E N T O:

 

 

Concurso Bolsa de Publicações Hugo de Carvalho Ramos - Versão – 2017

 

 

Art. 1º - A Bolsa de Publicações Hugo de Carvalho Ramos, promovida pela União Brasileira de Escritores-Seção Goiás, e patrocinada pela Prefeitura Municipal de Goiânia, tem por finalidade publicar obras inéditas de autores goianos, nos gêneros prosa (ficção) e poesia.

 

Art. 2º - Considera-se autor goiano a pessoa nascida no Estado de Goiás ou nele residente por mais de 05 (cinco) anos.

 

Parágrafo Único – Considera-se obra inédita aquela não publicada no todo ou em parte em forma de livro em meio papel.

 

Art. 3º - Os interessados deverão enviar os seus trabalhos para a sede da UBE-GO (Porto do Escritor), das 8:30 às 11:30 e das 14 às 17:30 horas, na rua 21 nº 262, centro, CEP-74.030-070, Goiânia-Go, telefone (62) 3225-74-02, do dia 04 de maio até o dia 23 de junho de 2017, pagando uma taxa de inscrição no valor de R$ 60,00 (sessenta reais) por trabalho. Os associados à UBE-GO, em dia com suas anuidades, estão sujeitos à taxa de R$ 50,00 (cinquenta reais) por trabalho inscrito. O concorrente poderá participar com mais de um trabalho por modalidade.

 

Art. 4º - Os originais deverão preencher as seguintes condições:

I– A sua apresentação se fará em 03 (três) vias, papel tamanho A-4, com todas as folhas digitadas em apenas uma face, tipos times ou arial, tamanho 12, em espaço 02 (dois), sem limite de páginas.

 

II – Cada via será encadernada com capa que ostente o título da obra e pseudônimo do autor, vedada a inserção do nome verdadeiro ou aposição de assinatura, bem como quaisquer outros meios de identificação;

 

III - Ao inscrever-se, o autor apresentará junto aos originais da obra inscrita um envelope lacrado, contendo folha de identificação com nome completo, título da obra, endereço, email e telefone. Na parte externa do envelope deverão constar apenas o título da obra e o pseudônimo do autor.

 

Art. 5º - Os candidatos já premiados em um gênero literário somente poderão concorrer no mesmo gênero decorridos 05 (cinco) anos da premiação.

 

Art. 6º - Os originais não premiados ficarão à disposição dos seus autores até 90 (noventa) dias após a divulgação do resultado do concurso; findo esse prazo, serão incinerados.

 

Art. 7º - O autor contemplado com a publicação de sua obra (um na prosa e um na poesia) terá direito a 90% (noventa por cento) da edição de 1.000 de exemplares editados pela Bolsa, cabendo o restante (10%) à UBE-GO e à Prefeitura de Goiânia, para fins de distribuição às Bibliotecas Públicas do Estado e do País. Haverá uma premiação de 20 (vinte) salários mínimos, a serem conferidos a cada um dos autores das obras classificadas, conforme determinação do artigo 4º da Lei Municipal 5.910/1982.

 

Art. 8º - A comissão julgadora será indicada pela UBE-GO, Prefeitura Municipal de Goiânia e Academia Goiana de Letras, devendo cada entidade apresentar um titular e um suplente.

 

Parágrafo Primeiro – A Comissão Julgadora deverá se reunir na sede da UBE, com a presença do presidente da entidade, para as discussões finais e indicação, em relatório, das obras premiadas.

 

Parágrafo Segundo – A Comissão Julgadora poderá, a seu critério, conceder menções honrosas.

 

Parágrafo Terceiro – a Comissão Julgadora poderá deixar de conceder premiação quando entender que não há obra com qualidades suficientes para merecer a distinção.

 

Parágrafo Quarto -  As decisões da Comissão Julgadora são irrecorríveis.

 

Art. 9º - Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão Organizadora.

 

Art.10º - O ato de inscrição implica plena concordância com este Regulamento.

 

Goiânia, 04 de maio de 2017.

Escritor EDIVAL LOURENÇO

 

Presidente

 

 

 

 
 

Obras Premiadas Bolsa de Publicações Hugo de Carvalho Ramos

 

 

 

                                                              
 
1944:
    
Ermos e Gerais de Bernardo Élis
Analogia Goiana de Veiga Netto
                                          
1947:
 
Nos Rosais do Silêncio de Americano do Brasil
                                             
1948:
 
Rio do Sono de José Godoy Garcia
                                         
1949:
 
Pium de Eli Brasiliense
                                       
1951:
 
Lendas de Minha Terra de Mário Rizério Leite
                                                 
1952:
 
Expedição Sertaneja Araguaia-Xingu de Leolídio di Ramos Caiado
                                          
1953:
 
Poemas  e  Elegias de José Décio Filho
                                           
1954:
 
Gente de Rancho de Leo  Godoy Otero
 
1955:
 
Dentro  da  Noite de José Vianna
                                    
1956:
 
Poesia de Érico  Curado
Riachão de Raimundo Rodrigues
Memórias Históricas de Sebastião Fleury Curado
 
1957:
 
Vila  Boa de Regina Lacerda
 
1958:
 
Planice de Gilberto Mendonça Teles
                                                 
1967:
 
Chico Melancolia de Humberto Crispim Borges
                                    
1968:
 
A Hora Maior de Vera  Americano
Mais um Ponto... Depois de Outro Ponto de César Baiocchi
                   
1972:
 
Secreta  Ária de Yêda Schmaltz
                                           
1973:
 
Na Estação das Aves de Aidenor  Aires
                                              
1974:
 
Do Olhar e do Querer de Maria Helena Chein
Lavra do Insolúvel de Aidenor  Aires
                                                
1975:                                            
                                          
Monólogo da Angústia de Brasigóis  Felício
O  Peixenauta de Yêda  Schmaltz
                                       
1976:
 
Antes do Quinto Episódio de Antônio José de Moura
 
1977:
 
Narrativas do Quotidiano de Marietta Telles Machado
Ver  de  Novo de Luiz Fernando Valadares
Do Sempre e do Instante de Luiz  Palacin
                                             
1978:
 
Feminino Plural de Gilka Bessa  & Outros
Via  Sacra de José Mendonça Teles
               
1979:
 
Hotel  do  Tempo de Brasigóis  Felício
Relações de Heleno  Godoy
 
1980:
 
Espaços de Maria Abadia Silva
A Romeira do Muquém de Adolfo Silva Neto
                                                     
1981:
 
Chico  Trinta de Humberto Crispim Borges
O Pássaro que Inventou a Solidão de Joaquim Machado de Araújo Filho
                                                                              
1982:
 
Hoje a Noite é Mais Longa de Anatole  Ramos
A Sinfonia dos Peixes de Delermando Vieira
                                            
1983:
 
Do Exercício de Viver de Goiamérico  Felício
Dias  de  Fogo de Antônio José de Moura
                                                  
1984:
 
Os Deuses são Pássaros do Vento de Aidenor  Aires
Urubanda de Miguel  Jorge
                                                  
1985:
 
Ati  Athis de Yêda  Schmaltz
Demônios da Mente de João Elias Oliveira
                                      
1986:
 
Duração dos Dias de Helvécio Goulart
Estranhos na Noite de Ilda Gomes Dutra
                                               
1987:
 
A Luz das Velas de Sebo de Delermando Vieira
Argonauta de Geraldo Dias da Cruz
                                            
1988:
 
As Mãos do Pecado de Roberto Fleury Curado
Arabescos Num Chão de Giz de Valdivino  Braz
                                          
1989:          
 
Profucus de Miguel  Jorge
                                              
1990:  
 
Os Novelos do Acaso de Pio Vargas
Pras Bandas do Córrego Fundo de Dionísio Machado
                                          
1991:   
 
Queda & Ascensão, Segundo a Visão do Pássaro de Delermando Vieira
Os Filhos da Blusa Azul de Luzia Rodrigues da Silva                             
                                            
1992:
 
A Centopéia de Neon de Edival Lourenço
Eis o Cálice, Helena de Celso Claudio Carneiro
 
1993:
 
Coisa  Incoesa de Edival Lourenço
Contos de Solibur de Itamar  Pires
                                         
1994:
 
Luz no Fim de Abril de Antônio Batista Machado
O Mercador de Espelhos de Dell  Meirelles
                                                                                          
1995:
 
Ecos de Yêda  Schmaltz
Carbono Dupla Face de Celso Claudio Carneiro
                                                 
1996:
 
A Voz dos Vivos de Lacordaire Vieira
Os Nós de Nós em Nós de Aldair  Aires
                                                                                                   
1997:
 
Os Aventais da Púrpura de Gabriel Nascente
                                          
1998:
 
Calada Nudez de Miguel  Jorge
Dominus Nobiscum de Aldair  Aires
                                            
1999:
 
Brasil Quinhentos Anos de Alódio Tovar
         
2000:
 
A Corda e o Abismo de Delermando Vieira
O Lírio Imperfeito” (poesia)de Delermando Vieira
                                             
2001:
 
O Colecionador de Alfinetes” (poesia) de Celso Claudio Carneiro
Nas Asas de Icaro de Mª Dalva J. Guimarães (Madellon)                                           
 
2002:                      
 
Faúlhas de Dionísio Pereira Machado
Poemas da Terra Perdida” (poesia) de Valdivino Braz
                                              
2003:
 
Tempestade na Proa (poesia) de Gabriel Nascente
A Batalha de Poitiers de Mauro Rogério P. de Araújo    
                                               
2004:   
 
Sobre o Movimento das Pedras(poesia) de João Elias Antunes de Oliveira
Comedor de Papa-Terra de Félix Ramos de Meneses
                                           
2005:
 
O Outro Caminho (poesia) de Geraldo Coelho Vaz
Desde Pequenos Nós Comemos Silêncios de André de Leones  
                                                           
2006:
 
Os Tambores da Tempestade (poesia)de Delermando Vieira Sobrinho
Jantar às 11  (prosa) de Cristiano Marcos Pires Neto (Cristiano Deveras)  
                                              
2007:  
 
Pontilhando (poesia) de José Fernandes
Os Bonecos de Mao  (prosa) de Delermando Vieira Sobrinho
                                            
2008:
 
Os Círios do Cão Maior de Mauro Leslie Alves Mariano
Suposta Biografia do Poeta da Morte de João Elias Antunes de Oliveira
 
2009:
 
Poemas:  Trama da Luz de Alcione Guimarães
Contos: Sob a Cromática Luz da Música de Alice Spindola
 
2010:

Prosa: No Caminho dos Martírios de Mauro Rogério Peixoto de Araújo.
Poesia: Mergulho nos Poros de Maria Luísa Ribeiro.

2011:

Prosa:  "Redemoinho" (novela) Pseudônimo Homero Lobato - Autor: Valdivino Braz
Poesia: " A Morfina Flor de Morfeu" - Pseudônimo Amador Vermelho - Autor: Gilson Carlos Cavalcante

2012:

Prosa: O Etéreo Ser de Carbono - Pseudônimo Ardil 22 - Autor: Cristiano Deveras
Poesia: Folha da Amendoeira - Pseudônimo Antero de Quintal - Autor: Sinésio de Oliveira
 

2013:

 

 

 

Prosa: Bramuras - Pseudônimo, Ziquiel Laertão - Autor: Hélverton Baiano
Poesia: Na Fissura do Vestido - Pseudônimo, Erva Doce - Autora: Márcia Maranhão de Conti
2014:

Prosa: Fogo de junho  - Pseudônimo - Sobrenatural de Almeida - Autor - Ademir Luiz da Silva
Poesia: Lepidópteros – Pseudônimo -  Anônimo Pseudônimo - Autor - Valdivino Braz