Nasceu em Hidrolândia-GO, no dia 25 de março de 1936. Filho de João Alves Teles e Celuta Mendonça Teles. Fez os estudos primários em Brazabrantes, Hidrolândia e Goiânia (Bairro de Campinas), no Grupo Escolar Henrique Silva. Concluiu o curso básico na Escola Técnica de Comércio de Campinas e o curso secundário no Lyceu de Goiânia e MABE – Moderna Associação Brasileira de Ensino, no Rio de Janeiro, em 1960. Graduado em Direito, turma de 1966, da Universidade Católica de Goiás, atual PUC (GO). Durante décadas como professor, lecionou no Colégio 5 de Julho, de Goiânia, Centro de Formação de Oficiais da Polícia Militar, Faculdade de Ciências Econômicas de Anápolis-GO, Universidade Federal de Goiás, Faculdade Cora Coralina, da Cidade de Goiás e Universidade Católica de Goiás, onde foi professor titular até 2003, quando recebeu o título honorífico de Doutor Honoris Causa. Foi presidente da Academia Goiana de Letras, durante 10 anos, presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Goiás, durante 12 anos, fundador e ex-diretor geral do Instituto de Pesquisa e Estudos Históricos do Brasil Central, da Sociedade Goiana de Cultura, presidente do Conselho Estadual de Cultura, Secretário de Cultura do município de Goiânia, membro do Conselho de Cultura do município de Goiânia, presidente da Aliança Francesa, em Goiânia. Atual presidente Ad Vitam do Instituto Histórico e Geográfico de Goiás, Presidente do Instituto Cultural José Mendonça Teles e membro do Conselho do Patrimônio Histórico de Goiânia. Pertence a inúmeras instituições culturais do País, entre elas: Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (único goiano a integrá-lo como sócio correspondente), Academia Paulistana de História de São Paulo e da Ordem Nacional dos Bandeirantes de São Paulo. Sócio correspondente dos Institutos Históricos e Geográficos de Santa Catarina, Distrito Federal, Rio Grande do Norte, Mato Grosso, Alagoas, Bahia, Paraná e Rio de Janeiro. Entre as condecorações e homenagens recebeu o diploma de Honra ao Mérito da Universidade Católica de Goiás, Medalha João Ribeiro, da Academia Brasileira de Letras, Medalha Tiradentes e Medalha Anhanguera, Grau de Comendador, outorgadas pelo governo de Goiás e o troféu Jaburu, distinção do Conselho Estadual de Cultura. Recebeu da Academia Goiana de Letras a homenagem ao nomear o ano de 2011 como Ano Cultural José Mendonça Teles. Autor das letras do hino oficial do Cinqüentenário de Goiânia e do hino oficial de Goiás, musicados pelo maestro Joaquim Jayme. Coordenou e executou os projetos de reedição do periódico A Matutina Meiapontense, dos livros Chorographia Histórica da Província de Goyaz, Anais da Província de Goyaz, Goyania, Dicionário da Língua Brasileira, da Revista Oeste e da série Memórias Goianas do volume I ao XVII. Coordenou o Projeto Resgate da Documentação Histórica da Capitania de Goiás e do Piauí, existente em Portugal, trazendo para esses Estados, todos os documentos microfilmados, referentes ao período de 1731 a 1822. Autor do projeto que resultou no tombamento de 15 bens históricos de Goiânia. Exerceu os cargos públicos de Assessor Cultural da Fundação Cultural de Goiás e Assessor Cultural da Vice-Governadoria de Goiás. É Cronista do Jornal O Popular, há mais de 20 anos.

Obras:

 Poesia & Contos Bacharéis I, antologia. Goiânia: Oriente, 1966; A Cidade do Ócio, contos. Goiânia: Oriente, 1970; 2ª edição, 1973; Contítulos, conto bibliográfico. Goiânia: Oriente, 1972 e 2ª edição, 1975; General Curado, estudo biográfico. Goiânia: Oriente, 1973. Menção Honrosa do Concurso do Sesquicentenário da Independência; Poesias & Contos Bacharéis II, antologia. Goiânia: Oriente, 1976; Fronteira, estudos literários. Goiânia: Oriente, 1977; Vida e Obra de Silva e Souza, ensaio. Goiânia: Oriente, 1978; 2ª edição, Goiânia: Cegraf, 1999; Um rio dentro de mim, discurso de posse da Academia Goiana de Letras e outros ensaios. Goiânia: Oriente, 1979; Via Sacra, contos. Goiânia: CERNE, 1979. Prêmio Bolsa de Publicações Hugo de Carvalho Ramos, 2ª edição, Goiânia: CEGRAF, 1985; Setembro nos reúne, crônicas. Goiânia: Oriente, 1981; Gente & Literatura, estudos literários. Goiânia: Universidade Católica de Goiás, 1983; Memórias goianienses, depoimentos. Goiânia: UCG, 1985; Encantamento, poemas. Goiânia: UCG, 1985; Em defesa de Goiânia, memória histórica. Goiânia: UCG, 1988; Quando os Flamboyants florescem, poemas. Porto Alegre: Livraria Editora Acadêmica ltda., 1988 e 2 ª edição, Goiânia: UCG, 1989; A Imprensa matutina, ensaio. Goiânia: CERNE, 1989. Prêmios Bolsa de Publicações José Décio Filho, da UBE-GO, Clio de História, da Academia Paulistana de História e Assis Chateaubriand, da Academia Brasileira de Letras; No Santuário de Cora Coralina, ensaio. Goiânia: Editora Kelps, 1991; 2ª edição, Editora Kelps, 2001 e 3ª edição, Editora Kelps, 2003; Amor Diário, poemas. Goiânia: Editora Kelps, 1992; A Vida de Pedro Ludovico, ensaio. Goiânia: Editora Kelps, 1992; 2ª edição, Editora Kelps, 1999, 3ª edição, Editora Kelps, 2005; Atlético, Sentimento & Glória, crônicas. Goiânia: Editora Kelps, 1995; Crônicas da Campininha, crônicas. Goiânia: Editora Kelps, 1997; Crônicas de Goiânia, crônicas. Goiânia: Editora Kelps, 1998; Crônicas & outras histórias de O Popular, antologia. Goiânia: Editora Gráfica O Popular, 1998; Itinerário Poético Vila Boa-Pirenópolis, poemas. Goiânia: Editora Kelps, 1999; Chão Goiano, ensaios. Goiânia: Editora da Universidade Católica de Goiás, 1999. Dicionário do Escritor Goiano. Goiânia: Editora Kelps, 2000; Aventuras de Zé Pequeno, cordel. Goiânia, 2002; Crônicas de Hidrolândia, 1ª edição Goiânia: Editora Kelps, 2003, 2ª edição 2005; A Vida de Pedro Ludovico – Fundação de Goiânia: Editora Kelps, 2004; Semeadores de Futuros, crônicas. Editora da UCG e Contato, 2005; Crônicas Vilaboenses. Goiânia: Editora Kelps, 2005; Eu te vejo, Goiânia, história e poemas. Goiânia: Editora Kelps, 2005: Crônicas de Mim. Goiânia: Editora Kelps, 2006; A Coluna Prestes em Goiás, História/Depoimentos. Goiânia: Kelps, 2008; Crônicas de Pirenópolis, crônicas. Goiânia: Kelps, 2009; Amor Diário 2, poemas. Coleção Goiânia em Prosa e Verso. Editora Kelps e Editora da UCG, 2009. Crônicas Vilaboenses, crônicas. 2º edição. Goiânia: Kelps, 2010; Crônicas da Campininha, crônicas. 3º edição. Goiânia: Kelps, 2010; Goiânia, Coração do Brasil, infantil. São Paulo: Editora Cortez, 2010; A Cidade do Ócio. Fortuna Crítica Comemorativa dos 40 anos.  4º edição. Goiânia: Kelps, 2010. Campininha das Flores e sua História (produção coletiva). Goiânia: Editora Scalla, 2010.

 

 

Domingo

Seus olhos — jabuticaba —
onde meu desejo deseja
e minha guia se acaba.

Chupando o néctar da fruta
me embriago e me recolho,
a tarde vai passando
na retina de meus olhos.

Tempo de jabuticaba,
tempo de olhos gulosos.

Retiro a pupila de mim
e me perco
encontrando-me nos quintais
da fantasia
— jabuticaba, galhos recheados,
poesia.

 

chupando sonhos, chupando fruta
         seiva de mim
                   serva de mim
                            sirva de mim

 

 Instante Seis

 Quero você na horizontal
de meu desejo vertical,
dilatada na pupila de minhas
mãos sedentas,
apalpando mistérios e volúpias.

 E quando a noite descer
neste quarto
minguante de mim,
ainda restará um terço
crescente, rígido e penetrante
na colcha do lençol
estendido no desejo
das horas intermináveis.