Nasceu na Cidade de Goiás, no dia 15 de abril de 1928, filho de Colombo Baiocchi e de Isabel Aciscla Guimarães Baiocchi. Iniciou seus estudos na sua cidade natal e transferiu-se para Goiânia. Cursou o Científico no Liceu de Goiânia e no Colégio Estadual do Paraná. Formou-se em  Medicina na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Paraná.
 

Foi um dos fundadores e colaboradores da revista Paraná - Universitário. Em 1947, prestou serviços à Rede Ferroviária Paraná, Santa Catarina, hoje Rede Ferroviária Federal. Em 1949, trabalhou no Departamento de Cultura da Secretaria da Educação do Estado do Paraná.
 

Com o diploma de médico vai para o norte do Paraná e passa a lutar pela emancipação administrativa e política de São João do Caiuá. Fundou e dirigiu o Grupo Experimental de Teatro Amador (Geta) e, em 1959 e ano seguinte, conquista premiações nos festivais de Teatro Amador de Curitiba.
 

Em 1955, é eleito vereador e, em 1959, Prefeito Municipal da cidade de São João de Caiuá, foi suplente de deputado estadual do Paraná e novamente eleito vereador.
Já radicado em Brasília, recebe o título de Cidadão Honorário de São João de Caiuá – Paraná, conferido pela Câmara de Vereadores, medalhas do Mérito Alvorada – do Distrito Federal, título de Grão–Mestre da Ordem do Mérito Cultural do Distrito Federal e várias comendas. Em Goiânia, a Câmara de Vereadores lhe confere o título Honorífico de Cidadão Goianiense.
 

Exerceu funções de médico e psiquiatra da Fundação Hospitalar do Distrito Federal. Sócio fundador da Associação Psiquiátrica de Brasília. Participou da criação do Cabeças – Centro Brasiliense de Arte e Cultura e foi seu Presidente, Membro do Conselho de Cultura do Distrito Federal e depois Secretário de Cultura do Distrito Federal. Exerceu a medicina por 30 anos e, ao afastar-se, dedica-se a atividades empresariais. Instituiu e é Presidente da Fundação Cesar Baiocchi – Acqua Vitae.
Em 1972 é eleito para ocupar a cadeira número 30 da Academia Goiana de Letras.
 

Autor dos livros: Corriola Paraná Brasil, Editora Dom BOSCO – Brasília – 1966, Mais Um Ponto... Depois de Outros Contos, 1º Prêmio da Bolsa de Publicações Hugo de Carvalho Ramos – 1968, Letras Editora, São Paulo, 1969, Sete Mulheres de Trinta e Um Olho d’água, Editora Oriente, 1975 e Boa Ação e Outros Contos Editora Kelps e Editora da U.C.G., Coleção Verso e Prosa da Prefeitura de Goiânia, 2009.
 

Diversos trabalhos poéticos e artigos voltados para o meio ambiente, publicados em revistas e jornais, participações em congressos, seminários, fóruns e contribuições com palestras e discursos eventuais.