Não quero paixão consumindo
pois tanto domina quanto destrói.
Busco o amor,suave e lindo,
forte sustento que nunca dói.

Muitos conclamam paixão
na ilusão que amor fosse.
Este vai muito além do chão
num silêncio sempre doce.

Paixão exige contato,
sofreguidão dos sentidos.
Amor é face do pacato
sossego nunca perdido.

Apaixonar produz febre,
perseguição do objeto.
Amar é seguir alegre
afora qualquer projeto:

longe ou perto, pouco importa,
faz-se brisa enquanto conduz,
faz-se de ouro, jamais entorta,
encantando enquanto reluz...

Marisa (a)Penas.